Notícias

Loading...

domingo, 24 de junho de 2012


No Mundo das Placas-mãe para PCs

Quais as melhores marcas?
 Principais características técnicas


 Atualmente no mercado mundial há muitos e muitos modelos de placas-mãe, e com as mais diversas configurações tecnológicas – configurações bem básicas as mais sofisticadas e avançadas.
Como exemplos, placas-mãe que suportam somente memória SDR (Single Data Rate ou Taxas de dados transmitidos no modo simples – cada ciclo de pulso transmite um dado por segundo), sendo que cada módulo de memória SDR possui 168 vias; Placas-mãe que suportam memórias SDR e DDR (Double Data Rate ou Taxas de dados transmitidos em dobro – cada ciclo de pulso transmite 2 dados), sendo que cada módulo de memória SDR possui 184 vias.
E ainda, placas-mãe que suportam módulos de memórias do tipo DDR2/DDR3/DDR4 (Double Data Rate ou Taxas de dados transmitidos em dobro ou em quatro, ou seja, cada ciclo de pulso transmite 2 ou quatro dados), sendo que cada módulo de memória DDR2/3/4 possui 240 vias elétricas.





Este modelo de placa-mãe desta imagem acima, por exemplo, é do tipo "multiprocessadores". Ou seja, suporta quatro processadores AMD Opteron 6100 Series Processors (Magny-Cours) com tecnologia de 45 nm, sendo que cada processador pode contar com 8 Cores (8 núcleos - 4 físicos e 4 lógicos) ou com 12 Cores (12 núcleos - 6 físicos e 6 lógicos), desta forma, um total de 32 a 48 núcleos; esta placa-mãe conta ainda com 32 slots para módulos de memória DDR3 de 16 GB cada, portanto, totalizando 512 GB de memória instalada. Mais informações nestes links abaixo:



As memórias DDR2/3/4 operam com altas freqüências de clock, como no modo de 800 MHz (máximo para as DDR2 e mínimo para as DDR3), devido a técnica QDR (Quad Data Rate ou Taxas de dados transmitidas de quatros em quatro dados por segundo – cada ciclo de pulso transmite 4 dados). Neste caso a freqüência original da memória é 200 MHz, mas como aproveitam cada ciclo de pulso para levar quatro dados (dois dados na rampa de subida e dois na rampa de decida), é como se ela estivesse operando à 800 MHz, por segundo.
Além do suporte para vários tipos de memórias, algumas placas-mãe também suportam redes Gigabits, redes Wireless (sem fio), bus PCI Express x1 e x16 (imagem abaixo, direita), este substituto do bus AGP (imagem abaixo, esquerda); somente HDs SATA (Serial ATA) e/ou SATA+PATA+SSD (Serial ATA+Parallel ATA+). E a cada novo modelo de placa-mãe, o suporte as novas tecnologias também aumentam.






As melhores marcas
Ao ler esta matéria muitos poderão dizer que estamos fazendo chover no molhado, pode até ser. Porém, muitos e muitos usuários de microcomputadores estão fazendo a mesma pergunta: “Quais são as melhores marcas de placas-mãe?”.
Isto porque – como acontece com as fontes de alimentação para microcomputadores –, também estamos no “Mundo das placas-mãe para PCs”, mundo este que conta com muitos fabricantes que realmente fabricam placas-mãe, e também, empresas que não fabricam, mas que colocam suas marcas em modelos de placas-mãe, e desta forma, ficam conhecidas no mercado nacional e internacional.
Também pode ocorrer de alguns modelos de placas-mãe serem das melhores marcas, mas não serem de boa qualidade. Outro fator de suma importância para que uma ótima placa-mãe corresponda 100% de sua capacidade, refere-se a montagem do microcomputador. Emparafusar a placa-mãe e outros componentes no gabinete é uma coisa, montar o microcomputador é outra coisa muito diferente – é uma arte para poucos.
A placa principal dos microcomputadores que recebe o chip (ou chips) CPU (processador para dados), e também, que recebe muitos outros chips que são integrados nela, também é conhecida por outros nomes, tais como: Placa-Mãe, Placa de Sistema, Placa Principal, CPU Board, Main-Board.
Quanto aos preços dos modelos de placas-mãe, dependerá do modelo – se é antigo ou recente –, dos recursos técnicos integrados (chips de som, de vídeo, de rede, chipset e outros no modo on-boards), ou dos recursos técnicos não integrados, mas que são suportados, como: placas externas off-boards (placas aceleradoras gráficas, CPUs, etc.).

Placas-mãe multi CPUs
Já com relação aos modelos de Placas-mãe existentes, os mesmos são inúmeros; os recursos tecnológicos que as mesmas suportam vão dos mais fracos aos recursos mais potentes. Como exemplo, alguns modelos de placas-mãe suportam QUATRO CPUs (processadores para dados) e , como o modelo da imagem acima, modelos como o da imagem são conhecidas por placas-mãe para multiprocessadores. Neste caso, o recurso é conhecido por multiprocessamento.
E para que a placa-mãe suporte o multiprocessamento de dados, ela deve suportar a tecnologia conhecida por SMP (Symmetric Multprocessing ou algo como Multiprocessamento de dados por dois ou mais processadores, conjuntamente). Esta técnica é empregada quando se deseja que os dados sejam processados por duas (ou mais) CPUs – no modo paralelo –, dividindo-se assim a carga que estaria reservada a um único processador.





Placas-mãe multi CPUs/GPUs
Já alguns modelos de placas-mãe podem suportar até SETE GPUs (processadores para dados gráficos integrados nas placas aceleradoras gráficas modernas, como este modelo destes links abaixo:



Este modelo de placa-mãe da imagem acima e dos links acima (a EVGA (socket LGA1366) modelo 270-GT-W555, com chipset Intel X58 integrado) realmente é muito potente, pois suporta SETE placas aceleradoras gráficas e DOIS processadores de 8 núcleos (4 físicos e quatro lógicos), totalizando 16 núcleos para processamentos de dados binários; possui ainda 12 slots para módulos de memória SDRAM DDR3, portanto, pode suportar ate 48 GB (12 slots x 4 GB de cada módulo).

Componentes integrados nas placas-mãe
Nas placas-mãe – nos modelos antigos e modernos também – podemos ver as interfaces (portas) para o teclado e mouse (PS/2 e USB); os conectores para a fonte de alimentação (4, 8, 20 e 24 pinos); a bateria (20/32) e chip CMOS (a partir do 286); os chips VLSI, mais conhecido por chipset; os slots ISA de 8 e 16 bits e Slots VLB; os slots PCI de 32 bits, AGP e PCI-Express x1 e x16; o chip de memória ROM/FlashROM BIOS; as interfaces para discos rígidos (IDE/PATA e IDE/SATA); a interface para drives de disquetes (esta já foi extinta); as interfaces para portas seriais e paralela; o socket (ou sockets, nos modelos de placas-mãe modernas) para o microprocessador e co-processadores (nas placas 286 e 386), entre muitos outros componentes integrados nas placas-mãe.

Os tipos de placas-mãe
Os tipos de Placas-mãe vão desde uma XT (Extended Technology ou Tecnologia estendida); uma AT (Advanced Technology ou Tecnologia avançada, a partir do 286), até as revolucionárias placas-mãe ATX (Advanced Technology Extended ou Tecnologia Avançada e Estendida). A Intel desenvolveu o tipo BTX (Balanced Technology Extended – Tecnologia estendida e balanceada) para os novos modelos de gabinetes para microcomputadores – e respectivas placas-mãe e fontes que seriam instaladas nestes gabinetes.

Os Fabricantes e Marcas de placas-mãe
Como já foi citado acima, no “Mundo das placas-mãe”, mundo este que conta com muitas empresas que realmente fabricam placas-mãe, e também, empresas que não fabricam, mas que colocam suas marcas em modelos de placas-mãe e desta forma ficam conhecidas no mercado.

As melhores marcas – Quais são elas?
Ao ler esta matéria muitos poderão dizer que estamos fazendo chover no molhado, ou seja, repetindo aquilo que muitos usuários (principalmente técnicos) de microcomputadores já sabem, pode até ser. Porém, muitos e muitos usuários de microcomputadores estão fazendo a mesma pergunta: “Quais são as melhores marcas de placas-mãe?”.
E pela ordem, levando em conta requisitos, tais como: qualidade, aceitação do mercado nacional e mundial, mais as análises de especialistas. E aqui também vale a minha experiência de mais de 12 anos trabalhando com placas-mãe, sendo que placas-mãe que menos dão problemas são os modelos produzidos pela empresa Gigabyte.

Placas-mãe do “Top 15 são as seguintes:

> Gigabyte, Asus , MSI, *Intel, ECS, Zotac, EVGA, Foxcomm, XFX, TYAN, Phitronics, Sapphire Technology, ABIT, VS Company e Micronic Computer INC <

*A Intel não é primeira da lista, e pelo seguinte: A empresa Foxconn também fabrica placas-mãe para a Intel (confira no link abaixo). Portanto, ao comprar modelos de placas-mãe da Intel, na verdade esses modelos podem ter sidos fabricados pela Foxconn.


Os fabricantes de placas-mãe – Quais são?
É interessante observar que, quando se fala em placas-mãe – na verdade nos fabricantes, respectivas marcas e modelos de placas-mãe – somente dois ou três nomes são citados: Asus, Gigabyte e MSI.
Porém, já existiram (ou ainda existem) uma boa quantidade de empresas que fabricam placas-mãe (ou apenas usam seus nomes nelas), como estas da lista (e do link) abaixo:


>Asus, ABIT, Asrock, Aopen, Albatron, Amptron; BCM, BFG Technologies, Biostar; Chaintech, Chantec. DFI (Design For Innovation), Digitron; ECS (Elite Group), EVGA, EpoX; FIC, Foxconn; Gigabyte; Intel, IWILL; Jetway; Kinpo Electronic; Mercury, Magic Pro, Mach Speed, MSI (Micro-Star International), Mitac international, Micronic Computer INC; Netgate; PCWare, Phitronics, PCChips, PC-Micro; Positivo (modelo POS MI945AA, por exemplo, modelo cedido pela MSI); Soyo, Shuttle Computer, Soltek, Supermicro; TYAN; USI (Universal Scientific Industrial), Universal Abit; VIA Tecnology, VS Company; XFX, Zotac; e muitas outras fabricantes de placas-mãe de menor expressão no enorme mercado mundial.

Os fabricantes de hardware – Quais são?
Se a lista de empresas que fabricam placas-mãe já é grande, imagine a lista dos fabricantes de hardwares para os microcomputadores. Para isto basta conferir neste link abaixo:


Tecnologia SMP (Symmetric Mult Processing)
Este termo se refere a tecnologia para Multiprocessamentos de dados por dois ou mais processadores instalados numa mesma placa-mãe, e operando conjuntamente numa mesma placa-mãe. Na primeira imagem acima vemos um modelo de placa-mãe que opera com quatro processadores.






Esta técnica é bem empregada quando se deseja que os dados sejam processados por duas CPUs (no modo paralelo), dividindo-se assim, a carga que estaria reservada a um único processador.
Vale lembrar aqui que no modo SMP de dois processadores operando a 2 GHz cada, não será o mesmo que se a máquina estivesse operando a 4 GHz, como ocorre no modo Dual Core (DC). No modo DC todo o processamento torna-se mais estável, contínuo, seguro e mais rápido também, já que é como se a máquina contasse com um processador operando a 4 GHz.
No modo SMP moderno, todo o processamento também se torna mais estável, contínuo e seguro, podendo operar mais rápido ainda já que a máquina conta com duas CPUs DualCore e opera como se existisse somente um processador operando a 3 GHz, por exemplo. Entretanto, em termo de estabilidade no processamento o desempenho da máquina é muito superior caso ele contasse com um processador somente.
Nesta técnica ou arranjo SMP, cada CPU possui e usa seu próprio cachê L1 e L2 e, como bem mostra a figura acima (da esquerda), caso a CPU 1 necessite de um determinado dado e este dado não se encontre gravado no L1 (este geralmente reservado para a gravação temporária de códigos e instruções utilizados pela respectiva CPU) e também não se encontre na L2 (este sempre reservado para a gravação temporária de dados que já foram ou serão processados pela respectiva CPU). A CPU 1 terá que buscar o dado (ou dados) diretamente na memória RAM (observe todo o processo acompanhando a imagem acima, a esquerda).
Observar ainda o seguinte: quando o cachê L1 é reservado somente para códigos e instruções, a CPU acessa diretamente o L2 em busca do respectivo dado. Caso não encontre o respectivo dado ela buscará na memória RAM usando o bus (barramento para o tráfego de sinais digitais na placa-mãe), o FSB (Front Side Bus) e o bus MB (Memory Bus – barramento da memória), como pode ser visto na imagem acima (esquerda).
Atualmente o controlador de memória não mais se encontra no Chipset North bridge, e sim, está integrado no próprio chip do processador (processadores da AMD e da Intel). Portanto, não mais utiliza o lento FSB e as comunicações entre a CPU (ou CPUs) tornam muito mais rápidas – veja um exemplo na imagem acima, da direita.
Como exemplo, o processador DualCore Intel Core 2 Duo E8400, 1600 MHz (6 x 267) possui um L1 (Level 1) contando com 64 KB (sendo 32 KB para a paridade – códigos para verificação de erros nos bits de dados; e 32 KB para o ECC – Error Corretion Code, Códigos para a correção de erros). Já o L2 é de 6 MB para a gravação temporária de dados já processados pela CPU, no modo de On-Die, ECC, Full-Speed.

Alguns termos técnicos usados
As áreas da informática moderna estão repletas de inúmeros termos técnicos. Porém, aqui, apresentamos alguns termos técnicos relacionados com esta matéria em questão.
Somos de opinião que todos os professores de informática deveriam orientar seus alunos – já nas primeiras aulas – para que os mesmos estudem os termos técnicos desta vasta área. Com isto, eles notarão que fica mais fácil estudar, aprender e conhecer os assuntos que estão estudando naquele momento – e os posteriores também.

AGP (Acelerated Graphics Port – Porta para aceleradora gráfica);
ALU (Arithmetic Logic Unit – Unidade para processamento de dados aritméticos);
AMD (Advanced Micro Device – Refere ao segundo maior fabricante de CPUs – em primeiro está a Intel);
BIOS (Basic Input/output System – Sistema básico de entrada e saída);
CMOS (Complementary Metal Oxide Semicondutor – Semicondutor metal-óxido complementar);







CPU (Central Processing Unit – Unidade para processamento de dados binários – imagem acima, esquerda);
DC (Dual Core – Núcleo duplo, processadores com 2 núcleos internos);
FlashROM (Flash Read Only Memory – Memória para leituras e escritas rápidas)
FSB (Front Side Bus – Barramento frontal superior);
GPU (Graphic Processing Unit – Unidade para o processamento de dados gráficos – imagem acima, direita);
L1/L2 (Level 1 e 2 – Memória cachê Nível 1 e 2 no núcleo (ou núcleos) do processador);
PATA (Parallel Attachment Technology Advanced – Tecnologia avançada para conexão paralela);
PCI-Express (Peripheral Component Interconnect Express – Conexão expressa para componentes e periférico);
PS/2 (Port Serial 2 – Porta serial versão 2);
ROM (Read Only Memory – Memória para somente leitura);
SATA (Serial Attachment Technology Advanced – Tecnologia avançada para conexão serial);
USB (Universal Serial Bus – Barramento universal serial);


                                                                                                       Por: Jkbyte

Nenhum comentário:

Postar um comentário